Exercite sua vulnerabilidade

Somente uma perfeita sintonia com outra pessoa, confiável, permitirá que você sinta-se a vontade e compartilhe seus melhores e piores momentos, reflita de forma aberta sobre suas crenças e dúvidas, exercitando assim sua vulnerabilidade.

Mesmo que as “dores” forem inevitáveis, permita-se refletir sobre seu passado, cultivado ou não, ressignificando aquilo que te impede de traçar novas metas e “viaje” pela possibilidade de voltar a sonhar.

Sempre haverá possibilidades de novos desafios se em sua intimidade você conseguir definir-se claramente como um ser humano e, acima de tudo, amparado por uma clara missão de vida, empoderar-se.

Falhas e erros, assim como projetos e metas continuarão sendo previstos e muitos até não terão êxito, mas entenda que sempre fará mais sentido a própria caminhada até ele, e não apenas os louros da vitória.

Acostume-se com a ideia de sua exclusividade como ser humano, valorize a cada dia sua história e cada faceta lapidada do diamante que existe em você. O brilho pode estar ai, perdido entre os sorrisos que você já não se permite mais, estrangulado pela monotonia de um trabalho que te asfixia sem perdão, ou mesmo pela hipocrisia itinerante que passa de pessoa para pessoa entre os grupos sociais que você ainda ousa participar. Sua vulnerabilidade deve estar atrelada a pessoas próximas e não apenas virtualmente.

Aprecie seu reflexo e soletre seu nome vagarosamente. Uma, duas ou três vezes, e permita-se o reconhecimento de sua própria voz. Sinta a vibração de suas  cordas vocais, olhe diretamente em seus olhos e note todos os detalhes possíveis, quer seja pela cor de seus olhos, pelo formato do rosto, pela jovialidade de sua pele ou mesmo pelos cabelos brancos e rugas que marcam sua face. Ela é exclusiva e única, sua marca no mundo e para o mundo, em qualquer lugar que você esteja ou vá.

Acredite, seu empoderamento e a amplitude de seu autoconhecimento te levará a definir um claro e objetivo legado, marcando desta forma sua passagem pela vida.