Vínculos afetivos x Aprendizagem

Qual seria a relação de vínculos afetivos com a aprendizagem da criança?
A conexão criada com a família é a abertura para o desenvolvimento do conhecimento. São as emoções que estimulam a criança para o aprendizado. Por meio das relações sociais, as crianças começam a expandir suas habilidades, que são potencializadas pelo ambiente promovendo a ampliação na aquisição de conhecimento.

Mas o que NÃO fazer para melhorar este vinculo?

  1. Não os escutar: Um comportamento muito comum entre as famílias, seja por estresse do dia-dia ou para manter o respeito e a autoridade, é não ouvir as crianças. No momento de corrigi-los pergunte o que a criança acha sobre isso, como ela se sente e se acha sua atitude correta.
  2. Compará-los e rotulá-los:Muitas vezes para estimular os pequenos, comparamos com colegas, irmãos, primos ou até com nós mesmo em nossa infância. Isso só vai alimentar a insegurança de seu filho o que pode resultar em vários comportamentos, desde agressividade, isolamento ou até resistência. Devemos ter em mente que os filhos são pessoas com personalidades diferentes, e devemos ajustar alguns comportamentos.
  3. Castigá-los, transmitindo-lhes falta de confiança: Castigo sem ensinamento, não educa! Este tipo de ação resulta em quebra do vínculo familiar, insegurança da criança e substituição de respeito por medo. Humilhar a criança não fará que ela reflita sobre o assunto ou encontre estratégias com não tomar novamente tais atitudes. Só vai gerar tristeza e raiva. Evite este tipo de conduta.
  4. Não compreender os estados emocionais dos seus filhos: As crianças têm sentimentos, e não os valorizar ou compreendê-los é uma ótima maneira de não criar intimidade com seu filho. Fale como você se sente, mostre por meio de atitudes, como é importante demostrar os sentimentos, que isso não é sinal de fraqueza e sim de coragem. Este comportamento permitirá que você ganhe a confiança de seu filho e ele tenha um amigo.
  5. Não saber dar limites: Alguns pais por estarem muito ausentes, devido ao trabalho são muito permissivos, e por esta culpa como uma maneira de compensação “liberam geral”. Outras famílias, fazem exatamente o contrário, exigem muito dos filhos e confundem autoridade com autoritarismo. O extremo para ambos os lados é prejudicial. Educar uma criança em um ambiente de medo, fará dela, um aluno inseguro. Pais muito permissivos resultarão em um aluno que acredita que tudo pode no ambiente escolar, sem saber lidar com frustrações. Deixe a criança ser criança, mas imponha algumas regras, encontre o equilíbrio.

Gostou do post? Comente ou faça contato direto como nossa especialista.
Vanessa Bueno – Whatsapp – 11- 97043-3690

Anima Habitus
Definindo datas para seus sonhos.