Eis sua resposta, eis seu Feedback

Já que aprendemos a falar, escrever e ler, para tudo que assim fazemos somos carentes de respostas, de Feedback. Somos seres humanos e dependentes de relacionamentos.

Seu feedback diário

Quanto mais nos omitimos ou nos escondemos, quanto mais nos isolamos e fugimos de nossos pares, mais teremos problemas, em qualquer fase de nossa vida, quer sejam problemas físicos ou emocionais, ou ambos somatizados e a mercê de interpretações claras de nossa importância dentro dos grupos sociais que participamos.

Mesmo agora em tempos de confinamento involuntário, reclusão ou confinamento, fica claro nossa percepção de que somos seres que carecem de Feedback constante, haja vista as centenas de lives de qualquer tipo, para quaisquer tipos de “artistas” que buscam mostrar-se e divulgar habilidades e competências que por vezes não existam ou existiram.

Mas a busca pelo Feedback não é atoa. É um necessidade intrínseca para que possamos ter um direcionamento àquilo que objetivamos. Somos carentes constantes em saber se estamos no caminho certo, se é seguro e, desta forma, corrermos menos riscos.

Ouvir um Eu Te Amo de volta quando falamos é uma forma de Feedback. Ou será que você diz para alguém sem esperar um Eu Também de volta. Se você faz um almoço especial e não fica, sorrateiramente, esperando um “huuuum, que delícia” ao final.
Se você, mulher, corta o cabelo, as vezes só a ponta, e mesmo já prevendo que nenhuma palavra, aguarda um “olha, você cortou o cabelo” de seu “love”. Aliás, reflita comigo se não é seu espelho um exemplo de Feedback, e quanto “medo” ele te causa em alguns momentos?

Falando corporativamente, li algo dia desses que todos temos “Baldes de Feedback” e que estes possuem furos causados por aqueles mais fortes e sem critérios. Metaforicamente então, na medida que “motivações” cheguem a nós e caso tenhamos muitos furos em nosso balde, estas não permanecerão por muito tempo, quer sejam apenas parabéns por um projeto realizado, um retorno financeiro em forma de aumento salarial ou uma promoção depois de tempos na empresa.
Ou seja, a missão de um líder então, entre tantas, deverá ser sempre de acompanhamento constante de seus subordinados, avaliando em que estado o “balde” de cada um esta, cuidando para que furos sejam fechados e novos sejam raros, tornando-os mais efetivos, participativos e de resultados mais expressivos.

Permita-se então ser mais atento a dar e receber feedback’s. Mesmo aqueles que possam parecer mais ácidos, fortes e objetivos. São eles que te permitem corrigir rotas, possíveis dúvidas ou entendimentos sobre algo, mesmo que sentimentos de repulsa e dor possam surgir. Mas atente para que não haja necessidade de discussões, atritos ou brigas, desde que você exercite também sua Inteligência Emocional, assunto esse uma outra postagem.

Enquanto isso, e como não podia deixar de ser para tudo que escrevo, fico ansioso e literalmente aguardando seu Feedback para este texto. Acredite, estou preparado, vamos conversar?

Texto escrito por Valmir Basso
Coach & Escritor
E-mail valmirbasso@animahabitus.com.br
whatsapp – 11- 98637-2800

PS. Em breve pré-lançamento de seu novo romance
“A PALAVRA PERDIDA” – Um fragmento perdido na história de uma vida.

“Tire uma foto de sua vida, mas não perca o FOCO.”

Vamos lá, escolha o melhor local, o angulo correto, verifique a iluminação, mantenha-se magra(o), sorria mas não engane ninguém, lembre-se daquele presente maravilhoso que ganhou e sorria. Olha o passariiiiinho! Pronto? Não, espere. Verifique também isso, aquilo … Espera, ta passando um carro. Opa, aquele cara vai passar na frente. Não, não Totó, não pula em mim, não é para você aparecer agora.

Mimededatem
Local-Consultório Dr. Aguinaldo.

Puxa, como é difícil manter o foco né? Literalmente e até como numa foto, independente do equipamento e até mesmo se tem aqueles recursos Automáticos, o resultado sempre irá sempre depender de quem aperta o botão.

E em sua vida, quem está apertando o botão, quem está mantendo o foco àquilo que realmente importa? Tá difícil, tem muita gente apertando botões por você? E mesmo que você os esconda, mude de posição, mude as cores, disfarce ou mesmo destrua certos botões, outros são criados e a revelia sempre aparece alguém teclando ou apertando botões de sua vida sem sua permissão?

Vamos falar sobre FOCO então. Não importa sua idade, seu sexo, sua nacionalidade, sexualidade, sua formação acadêmica. Não importa o que você conhece das coisas, daquilo que as pessoas estão falando ou daquilo que acredita ser importante para participar dos grupos sociais. Não importa como as pessoas veem as coisas ou resolvem fazer as coisas. Seu FOCO sempre será aquilo que você determinar-se.

Pronto, projete a partir de seu presente. Isso o seu A-GO-RA, este exato momento em que você lê este texto. Legal, você pensou como este texto te atingiu e pensou: Porque EU não consigo manter o foco? Como me distraio, procrastino e deixo de fazer o que tenho que fazer, o que gostaria de fazer? E como me sinto mal porque não tenho os resultados que gostaria de colher daquilo que fiz, até mesmo um simples Pa-ra-béns, e que a tanto tempo não ouço de ninguém?

É o assunto é longo para este momento. Talvez eu como “Coach” pudesse então te convidar para tomar um Café de verdade, olhar em seus olhos e te ouvir. Reservar um tempo exclusivo para somente te ouvir. Mas espere, vou precisar te fazer perguntas também. Umas perguntas “Poderosas” , diretas e profundas, mas todas com respostas. RESPOSTAS estas que VOCÊ com certeza tem, mas esconde de você mesmo(a). Boralá?!

Mas se mesmo assim ainda quiser apenas saber como ter e manter o FOCO, permita-se conhecer melhor. Isso, agora, neste exato momento pense assim: E PORQUE NÃO? Porque, para que, qual, quem, como, o que? Aprofunde seu conhecimento de si mesmo(a). Permita-se FOCAR em sua FE-LI-CI-DE-DE, valorizando cada fragmento de tempo vivido. E a cada fragmento, cada grão de areia que cai em sua ampulheta da vida, escrever sua exclusiva história de vida.

Bora, vamos conversar!

Valmir Basso
Master Coach e Escritor

Individualidade

Com certeza você já viu na internet treinos e dietas que prometem te colocar em forma em um tempo muito curto. Já deve ter visto vídeos mostrando o segredo para “secar a barriga”, ou ouvido falar sobre a tal da “dieta da sopa”. Afinal, essas estratégias funcionam ou não? NÃO! Muito pelo contrário, elas podem ser muito prejudiciais a sua saúde. Um treino mal aplicado e uma dieta mal planejada pode causar consequências muito sérias em seu organismo. Cada indivíduo possui a sua individualidade biológica, cada organismo reage de formas diferentes para um mesmo estímulo aplicado. Se você treina ou faz dieta sem um acompanhamento de um profissional, você pode muitas vezes piorar a situação na qual se encontra. Por mais que pensamos o quanto somos parecidos com alguém, nossa parte interna, fisiológica, é completamente diferente. Se tentarmos aplicar um mesmo programa de treinamento para irmãos gêmeos, a adaptação que irá gerar e o tempo que irá acontecer, também será diferente. Isso acontece pois nossos corpos são formados por diversas características genéticas como composição corporal, composição das fibras musculares, consumo de oxigênio. características essas que mudam de ambiente para ambiente. Ou seja, até o lugar onde você vive, pode afetar em sua composição fisiológica.

Desconhecido autor

Por isso, lembrem-se, a internet apesar de ser uma plataforma muito útil, não é o ideal quando se trata de saúde. Falar com um profissional especializado é determinante para que você tenha uma qualidade de vida melhor. Até porque, você é um ser humano único, e tem que ser tratado individualmente e exclusivamente.

INTIMIDADE

Alguém me disse uma vez que só se conhece uma pessoa quando se convive com ela, dia e noite, noite e dia. Esta tal INTIMIDADE e o tempo de proximidade, que permite saber e conhecer suas virtudes e suas fraquezas, suas qualidades e suas mazelas, suas dificuldades e também tudo aquilo que lhe permite confiança e credibilidade. Se sua fé remota acreditar em Jesus e sua vida, ou apenas acredita naquilo que vê e põe a mão.

Intimamente permito-me então chama-lo sempre. Não vou aqui ser arrogante e hipócrita, assim como tantos em meio a bombas e festejos, arvores verdes pintadas de branco e enfeitadas de vermelho, lâmpadas miúdas, médias e pequenas, de todas as cores e tamanhos fabricados por quase escravos em um pais oriental qualquer e que pouco acredita até no dia seguinte, que dirá num dia como natal. Não, não vou ser tosco ou incrédulo de tudo isso que está por aí, impregnando nossos olhos de falsidade. Aliás, permito-me copiar um argumento que acabei de ouvir: que seria do Natal se não tivéssemos aqui o decimo terceiro salário?

Intimidade. Intimidade é algo que se descobre quando em meio a uma turbulência numa viajem de avião, forte como um brinquedo de play qualquer coisa nunca chegou a alcançar, um incrédulo, ateu por definição, olha pro céu e começa a fazer promessas. Ou então aquele ou aquela que se orgulha de tudo o que tem, lidera e oprime dezenas, centenas, milhares de pessoas e quando uma única célula de seu corpo adoece, permite-se ainda enriquecer seu conceito de “tadinho de mim”.

Eu sei que ELE, sim é assim que o chamo sempre. Sim, meu senhor, meu irmão, meu líder, meu Deus está sempre comigo e sempre que preciso dele sussurro em seu ouvido meus pensamentos. Sempre que o percebo a meu lado comento meu dia, minhas alegrias, minha forma de entender as coisas e até pergunto se estou certo. As vezes nosso bate papo é tão íntimo que até esqueço onde estou, com quem estou e porque estou. Às vezes, melhor, quase sempre ele me dá sinais de como devo me portar, com quem devo estar, o que devo fazer. Quase sempre ouço e executo, mas as vezes estou desatento, confesso. E quando novamente percebo esta distração até brigo com ELE, pedindo para que se for o caso GRITE comigo para que fique mais atento. Sabe quando o PAI faz quando quer chamar a atenção?! Sei que preciso e vou precisar sempre disso. Intimamente confesso à ELE essa minha forma de ser.

São sinais como o não ir a determinado lugar, a não estar com pessoas, a não compartilhar de conceitos ou mesmo apenas acreditar que tudo irá dar certo quando poucos assim permitem. Ter certeza que uma cirurgia irá ter sucesso; uma conquista de emprego seu ou de seu filho, filha; um início ou fim de relacionamento, um passeio, um único novo dia quando o último foi intransponível e sem razão para acreditar mais em nada…

Sei que para alguns isso pode parecer ultraje ou até mesmo soberba, mas dedico a todos que sintam de verdade a presença de Jesus em seus corações, para aqueles que acreditam realmente que “ELE”, Jesus, nasceu e vive entre nós sua intimidade, pois se só se conhece que convive, então assim tenho certeza que sou.

Fique você então também com ELE, pois se assim você se permitir íntimo, seremos todos, e ELE ESTARÁ SEMPRE NO MEIO DE NÓS.

Sua vida sendo vigiada

Tecnologicamente o mundo evoluiu e o ser humano não se preparou para isso. Soletramos os sentimentos como se fossem palavras proparoxítonas e nem sabemos onde colocar os acentos. Cada vez sua vida vai sendo vigiada, cada vez mais somos e nos permitimos ser vigiados por câmeras para o artifício da segurança. Segurança esta cada vez mas necessária para nos proteger de nós mesmos, de nossos anseios de querer cada vez mais e melhor, mais confortável e rápido. Eis então o objetivo maior de toda esta tecnologia: dominar o tempo.

Cada vez mais intensifica-se a busca por mecanismos como celulares, computadores e notebooks, equipamentos audiovisuais, eletrônicos diversos, eletrodomésticos, carros e aparelhos médicos. A tecnologia invadiu e somos viciados nela porque em nosso lar, na escola, nos hospitais, em nosso trabalho,  nas ruas e em nosso cotidiano tornou as coisas muito mais fáceis, com mais qualidade e mais rá-pi-das.

Cada vez mais ficamos aflitos e desesperados quando arrastamos o dedo numa tela de 3, 4, ou 5 polegadas de um, agora, porque desesperadamente evoluiu, Smartphone. Ficamos ansiosos ao extremo quando um novo modelo irá ser lançado, e promete ser ainda mais rápido e cheio de novidades, que prometem fazer de nós, dependentes.

Assim partimos de uma situação de convivência humana real e profunda, gestual e sinestésica, intensa e sentimental, para uma robotização plena e cada vez mais impeditiva, uma inteligência artificial morna e superficial, onde os sentimentos são inseridos em avatares que nos representam para tudo e em todos os lugares.

Eis então nossa grande dúvida e desafio: desacelerar nossa vida e viver cada momento.

Nosso desafio é entender que o passado foi ontem e não podemos mais muda-lo. Que o futuro é amanhá, que ainda não chegou e tem que vir depois de hoje. E hoje é o agora, o momento atual, fragmento após fragmento deste tempo que teima em nos desafiar. Em frente ao espelho ou as câmeras que nós mesmos nos desafiamos a encarar, se ainda tivermos, sem sentimentos, coragem.